Exposição a Agentes Biológicos

 


Entende-se por exposição a agentes biológicos a presença destes no ambiente laboral, podendo distinguir-se, em geral, três grandes categorias de exposição aos mesmos:

a) exposições originadas de uma atividade laboral com intenção deliberada de utilizar ou manipular um agente biológico, que constitui o propósito principal do trabalho. Atividades deste tipo seriam as desenvolvidas com animais deliberadamente infectados ou nos laboratórios de diagnóstico microbiológico, cuja atividade principal constitui o trabalho com agentes biológicos. Outras atividades enquadradas neste grupo seriam, por exemplo, às relacionadas com as indústrias de biotecnologia: indústrias farmacêuticas (para a obtenção de antibióticos, enzimas, vacinas virais), indústrias alimentícias (cerveja, queijos, iogurtes), etc.

b) exposição que surge da atividade laboral, mas tal atividade não implica a manipulação, nem o trabalho em contato direto ou o uso deliberado do agente biológico. Em definitivo, nestes casos a exposição é incidental ao propósito principal do trabalho.

c) exposição que não deriva da própria atividade laboral, por exemplo no caso de um trabalhador que sofre uma infecção respiratória, contaminado por outro trabalhador.

Definições:

a) agentes biológicos: microorganismos, inclusive os geneticamente modificados, culturas de células e endoparasitas humanos, suscetíveis de originar qualquer tipo de infecção, alergia ou toxicidade;

b) microorganismos: toda entidade microbiológica, celular ou não, capaz de reproduzir-se ou transferir material genético;

c) cultura celular: o resultado do crescimento “in vitro” de células obtidas de organismos multicelulares.

Na prática, esta definição contempla duas categorias de contaminantes biológicos: agentes biológicos vivos e produtos derivados dos mesmos, já que ambos podem gerar uma enfermidade como consequência da exposição dos trabalhadores a tais agentes. Em definitivo, o conceito e agente biológico inclui, mas não está limitado, a bactérias, fungos, vírus, rickettsias, clamídias, endoparasitas humanos, produtos de recombinação, culturas celulares humanas ou de animas e os agentes biológicos potencialmente infecciosos que estas células possam conter, príons e outros agentes infeciosos. Entre os produtos derivados dos agentes biológicos (transmitidos fundamentalmente por via aérea) e que podem gerar transtornos de tipo tóxico, alérgico ou irritativo são as micotoxinas, endotoxinas, ergosterol, 1,3-glucanos.

A Química e a Física do Fogo

 



Conceitos Básicos 

Um incêndio é a manifestação de uma combustão descontrolada.

 

Nela intervém materiais combustíveis que constituem as edificações em que vivemos, trabalhamos e nos divertimos, ou uma ampla gama de gases, líquidos e sólidos que são utilizados na indústria e no comércio.

 

Estes materiais, normalmente constituídos por carbono, se agruparão, no contexto deste estudo, sob a denominação de substâncias combustíveis.

 

Embora estas substâncias apresentem uma grande variedade quanto ao seu estado químico e físico, quando intervêm em um incêndio respondem às características comuns, embora difiram na facilidade com que iniciam (ignição), na velocidade com que se desenvolvem (propagação da chama) e da sua intensidade (taxa de liberação de calor).

 

À medida que nos aprofundamos na ciência dos incêndios, cada vez é possível quantificar e prever com maior exatidão o comportamento de um incêndio, o que nos permite aplicar nossos conhecimentos à prevenção de incêndios em geral.

 

O objetivo é revisar alguns princípios fundamentais e contribuir para a compreensão do desenvolvimento dos incêndios.

 

Estamos rodeados de materiais combustíveis que, em determinadas condições, podem entrar em combustão se a estes são aplicados uma fonte de ignição capaz de iniciar uma reação em cadeia.

Dentro da estrutura deste processo, a substância combustível reage com o oxigênio do ar liberando energia (calor) e gera produtos de combustão, alguns dos quais podem ser tóxicos.

 

É necessário compreender com clareza os mecanismos de ignição e combustão.

 

Normalmente, a maioria dos incêndios são produzidos em materiais sólidos (por exemplo madeira ou seus derivados e polímeros sintéticos), mas também, em menor escala, em combustíveis líquidos e gasosos. Antes de estudar alguns conceitos básicos, é conveniente revisar brevemente a combustão de gases e líquidos.

 


Fadiga


 

Fadiga é descrita como um sentimento de cansaço e falta de energia e motivação. Fadiga é diferente de sonolência. Sonolência é uma sensação de necessidade de dormir. Sonolência e apatia (uma sensação de não se importar com o que acontece) podem ser sintomas que acompanham a fadiga.

Nos ambientes laborais, está comumente associada com horários fora do padrão, tais como turnos de trabalho noturnos e horas estendidas de trabalho, que interrompem ou encurtam o sono.

A fadiga pode também estar associadas com outros fatores ambientais tais como o stress, tarefas física ou mentalmente exigentes, ou trabalho em ambientes quentes.

Pode originar de inúmeros e diferentes fatores e seus efeitos se estendem além do sono.

A fadiga pode diminuir tempos de reação, reduzir a atenção ou a concentração, limitar a memória de curto prazo e prejudicar o julgamento.

Altos níveis de fadiga podem afetar qualquer trabalhador em qualquer ocupação ou segmento, com sérias consequências para a saúde e segurança do trabalhador.

Conhecer os riscos para os eventos relacionados à fadiga, identificar as fontes de fadiga e usar estratégias para administrar a fadiga, ajudará a manter os trabalhadores seguros e saudáveis.

Consulte-nos para mais informações. 

Posturas de Trabalho

 


A aproximação postural da biomecânica vem apresentando maior importância nos últimos tempos, pois se tornou evidente que não existe uma única postura inadequada de trabalho, ao contrário, sucessivas posturas inadequadas, seja pela posição que se adota, pelos músculos que estão envolvidos, pela falta de apoio ou pela continuidade no tempo.

Recordemos que a postura de trabalho é: a forma geral que o corpo adota durante um tempo determinado. O qual permite analisar e entender as diferentes posturas: sentado, de pé, agachado, de cócoras.

No sistema osteomuscular atuam, de maneira constante, forças que garantem o equilíbrio em todas as suas dimensões. Portanto, é de vital importância conhecer como atuam tais forças para poder fazer projetos de postos de trabalho que considerem todos os aspectos físicos, ao mesmo tempo que proporcionem formas, procedimentos e metodologias de realização do trabalho e tempos de permanência nas diferentes posturas.

O trabalho prolongado na mesma posição, seja sentado ou de pé, pode causar incômodo, cansaço e monotonia. Enquanto seja possível, deve ser incorporado movimento para prevenir o incômodo e a fadiga.

A postura sentada, que aparentemente significa descanso, é uma posição muito exigente, já que nela se combina o apoio do corpo, o apoio das costas, a postura das mãos, a postura dos pulsos e o ângulo visual.

Do ponto de vista fisiológico, podem ser diferenciadas dois tipos de postura: estática e dinâmica.

Radiações Não Ionizantes

 


Uma das formas de transmissão de energia é a que se realiza através da radiação de ondas eletromagnéticas, caracterizadas pela existência de campos elétricos e magnéticos perpendiculares entre si e perpendiculares à direção de propagação da onda. 

As ondas eletromagnéticas se diferenciam umas das outras pela quantidade de energia que são capazes de transmitir e isto depende de sua frequência. 

O conjunto de todas elas constitui o espectro eletromagnético. 

Ordenados da menor à maior energia, pode-se resumir os diferentes tipos de ondas eletromagnéticas da seguinte forma:

Campos elétricos e magnéticos estáticos (ímãs, condutores elétricos de corrente contínua):

Ondas eletromagnéticas de extrema baixa frequência: o intervalo de frequências alcança até 3 KHz (linhas elétricas de corrente alternada).

Ondas eletromagnéticas de frequência muito baixa: o intervalo de frequências é de 3 a 30 KHz.

Ondas eletromagnéticas de rádio frequência (RF): o intervalo de frequências é de 30 KHz a 1000 milhões de Hertz (=1 Gigahertz) (ondas de rádio e televisão, soldagem de plásticos).

Microondas (MO): ondas eletromagnéticas entre 1 e 300 Gigahertz (fornos de micro-ondas, telefonia móvel).

Infravermelho (IR): ondas eletromagnéticas entre 300 Gigahertz e 385 Terahertz (1 Terahertz = 1000 Gigahertz) (lâmpadas de infravermelho, material quente).

Luz visível: ondas eletromagnéticas entre 385 Terahertz e 750 Terahertz (iluminação).

Ultravioleta (UV) não ionizante: ondas eletromagnéticas entre 750 Terahertz e 3000 Terahertz (lâmpadas solares, lâmpadas de detecção de taras, lâmpadas de insolação industrial).

As radiações de ondas eletromagnéticas de maior frequência que as mencionadas têm a capacidade de ionizar, isto é, de variar a estrutura de átomos ou moléculas, porque possuem a energia necessária para isso.

Com respeito aos campos elétricos e magnéticos estáticos e ondas eletromagnéticas de frequências extremamente baixas, sabe-se que podem ter efeitos nocivos no sistema nervoso e cardiovascular. 

Na atualidade, se discute a confiabilidade de certos estudos que outorgam a capacidade de produzir certos tipos de câncer às radiações de frequência extremamente baixas, mas as restrições que atualmente são aplicadas a este tipo de radiações não levam em conta, no momento, tais efeitos.

Saúde Mental


A Organização Mundial de Saúde define a saúde mental como “um estado de bem-estar no qual o indivíduo se dá conta de suas próprias atitudes, pode enfrentar as pressões normais da vida, pode trabalhar produtivamente e é capaz de fazer uma contribuição à sua comunidade”.

 A própria definição inclui a atividade laboral como mais um indicador de saúde e bem-estar adequados.

 O ambiente laboral se define como um lugar essencial para atender aos fatores determinantes da saúde mental de seus trabalhadores, cuidar e proporcionar condições de trabalho que permitam ambientes saudáveis e atender adequadamente e apoiar aos trabalhadores com alterações emocionais. 

Os fatores psicossociais do trabalho são chaves neste processo.

A saúde mental é um contínuo que pode ir desde um ótimo bem-estar até à expressão de um transtorno mental grave. 

As pessoas podem mover-se entre diferentes pontos neste processo em função de diversos fatores biopsicossociais. 

Isto é, a saúde mental ao longo da vida estará determinada pela interação de múltiplas variáveis biológicas (genética, doenças adquiridas), pelas próprias competências emocionais da pessoa, autoconceito, auto estima, os momentos vitais estressantes que tenha que enfrentar, o contexto social, familiar, laboral, etc.

Diagnosticar a saúde mental da organização suporá detectar seus pontos fortes e fracos.

O trabalho pode ter uma influência positiva ou negativa sobre a saúde mental dos trabalhadores. 

Sem ânimo de ser exaustivos, alguns dos principais fatores que favorecem o bem-estar e uma boa saúde mental nos ambientes de trabalho são:

Contar com apoio social.

Perceber-se como parte do grupo de trabalho, ter a sensação de inclusão e pertencimento à organização.

Perceber a relevância e o reconhecimento do trabalho realizado.

Encontrar sentido no trabalho realizado.

Ter capacidade para a tomada de decisões.

Ter autonomia na organização da gestão do próprio trabalho.

Figura - Principais elementos de um plano de promoção da saúde mental no trabalho

Serra Circular de Mesa


É utilizada, principalmente, no setor da construção e em toda obra que trabalhe com madeira como matéria-prima, que precise ser cortada. Embora se trate se uma máquina leve e singela, seu uso implica a exposição do trabalhador a distintos riscos, cujas consequências podem chegar a ser muito graves, principalmente corte e amputações por contato com o disco em movimento e lesões diversas por projeções de partículas dos objetos cortados ou o próprio disco ao romper-se.

É uma máquina alimentada manualmente (o operário intervém dirigindo com um empurrador o elemento equivalente à peça que vai ser mecanizada), montada sobre uma superfície de trabalho com uma ranhura que aloja e permite o giro do disco de corte. Sobre a ranhura desliza a peça de madeira que se deseja cortar em direção ao ponto de corte. O disco de corte se chama convencionalmente, disco de Widia (Carboneto de Tungstênio), embora somente do recobrimento metálico dos dentes de corte. O disco em movimento pode girar a grande velocidade, sendo sua dureza que proporciona um corte rápido e eficiente.

Parte principais de uma serra circular:

Legenda:

1. Faca divisora

2. Resguardo do disco de corte

3. Suporte do resguardo do disco de corte

4. Resguardo fixo por baixo da mesa

5. Guia para o corte longitudinal

6. Guia para o corte

7. Mesa da máquina

8. Comandos de acionamento

9. Empurrador

10. Prolongação da mesa

11. Placa removível

12. Lugar para uma boca de extração